Dolár Comercial : --
Soja (CBOT) : --
Milho (B3) : --
Algodão (NY) : --
Prêmio Soja Paranaguá : --
Prêmio Milho Santos : --
Petróleo : --
Milho ESALQ : --
Soja Paranaguá : --
Milho Santos : --

📊 Gráfico do Dia: Alarme falso de novo!!!

Por: Thiago Davino
Gráfico, Macro
Publicado em: 01/09/2021 11:09

Icone Icone Icone Icone

Há pouco, o instituto ADP divulgou os dados mensais do mercado de trabalho do setor privado dos EUA, referente ao mês de agosto. No período foram criados apenas 374 mil postos de trabalho, muito abaixo do esperado pelos analistas (613 mil). E o número de julho foi revisado para baixo, passando de 330 mil para 326 mil.

Com esse resultado, a maior economia do mundo acumula a criação de 3,840 milhões de vagas de trabalho em 2021.


Setor de serviços mantém fraqueza na recuperação

Pelo oitavo mês seguido o setor de serviços foi o destaque na criação de postos de trabalho. Porém, pelo segundo mês consecutivo apresentou dados modestos. Em julho foram criadas 318 mil novas vagas nesse setor e em agosto ficou em 329 mil. Entre março e junho desse ano, a média de criação nesse setor havia sido de 611 mil vagas por mês, quase o dobro do reportado em julho e agosto.

Entre março de 2020 e agosto desse ano, o setor de serviços ainda acumula um corte de 5,572 milhões de postos de trabalho. Até o momento, foi recuperado dois terços metade do que se perdeu entre março e abril do ano passado (-17,289 milhões).

E dentro do setor de serviços, a área que mais registra crescimento de postos de trabalho segue sendo exatamente aquela que mais perdeu com a pandemia, hospitalidade e lazer. Em agosto, essa área criou 201 mil novas vagas de trabalho, levemente acima do reportado em julho, que foi 138 mil.

No acumulado desde março do ano passado até agora, a área de hospitalidade e lazer ainda registra um corte de 2,402 milhões de postos de trabalho, 43,1% das perdas de todo setor de serviços.

Já a indústria ainda acumula uma perda de 498 mil vagas de trabalho desde o início da pandemia.


Número reforça visão do Fed em priorizar mercado de trabalho ao invés da inflação

O resultado muito abaixo das estimativas sinaliza que ainda há um longo caminho a percorrer para o mercado de trabalho retomar os níveis pré-pandemia, ou seja, para o pleno emprego. E diante desse quadro, o Federal Reserve deverá manter a taxa básica de juros do país entre 0% e 0,25% ao ano por um longo período de tempo, afim de estimular a recuperação plena da atividade econômica do país.

Vale lembrar, que a autoridade monetária norte-americana reforçou semana passada seu compromisso de buscar a retomada do pleno emprego, apesar da recente disparada da inflação nos EUA. E com um número tão ruim como de hoje, só há uma certeza. É preciso manter todos os estímulos monetários inalterados pelo menos até novembro desse ano.

Diante desse quadro, o dólar mantém um viés de queda ao redor do globo. Refletindo o resultado de hoje do ADP, o dollar index (IDX) registra queda nessa quarta-feira, sendo a oitava baixa nas últimas nove sessões, acumulando desvalorização de 1,25% nesse período.

Agora os olhos do mercado se voltarão para a divulgação do Payroll na próxima sexta-feira (03/set). Vale lembrar, que nos últimos dois meses, os dados oficiais do mercado de trabalho do governo dos EUA (payroll) veio bem melhor que do ADP. Em agosto se repetirá esse quadro? 


VÍDEO GRÁFICO DO DIA
Não há comentários para exibir