Dolár Comercial : --
Soja (CBOT) : --
Milho (B3) : --
Algodão (NY) : --
Prêmio Soja Paranaguá : --
Prêmio Milho Santos : --
Petróleo : --
Milho ESALQ : --
Soja Paranaguá : --
Milho Santos : --

MERCADOS NA ÁSIA: O apagão logístico nos EUA continua

Publicado dia: 06/09/2021 07:40

Icone Icone Icone Icone

Destaques:

  • SOJA (CBOT) Fechado por conta do Feriado
  • ÓLEO DE SOJA (CBOT) Fechado por conta do Feriado
  • MILHO (CBOT) Fechado por conta do Feriado
  • ALGODÃO (NY) Fechado por conta do Feriado
  • FARELO (Dalian) -37 @ 3664 CNY/ton
  • ÓLEO DE SOJA (Dalian) +134 @ 9568 CNY/ton
  • MILHO (Dalian) -21 @ 2481 CNY/ton
  • SUÍNO VIVO (Dalian) -0.17% @ 14680
  • MILHO (Esalq) -0.74 @ 92.26 R$/saca
  • IDX +0.25% @ 92.26
  • COMMODITIES +0.42% @ 97.11
  • PETRÓLEO -0.49 @ 68.82 USD/barril
  • MINÉRIO DE FERRO (Dalian) -4.76% @ 865 

COMENTÁRIOS DA MANHÃ

Feriado nos EUA. Bolsas na Europa e Ásia sobem nessa 2ª-feira, refletindo os péssimos dados do mercado de trabalho nos EUA divulgados na última 6ª-feira. Parece que o FED não terá escolha, mas terá que ser ainda mais paciente em relação ao tapering. A criação de vagas em agosto foi de 232 mil vagas contra expectativa de 730 mil vagas e mais de 1,05 milhão de vagas criadas em julho. Estamos vendo o Delta em ação, afastando as pessoas do trabalho. Simplesmente as pessoas não querem empregos de atendimento ao público como hotéis, restaurantes, bares e varejo no geral – difícil entender. O americano não quer se vacinar, mas também não quer pegar a doença.

Ao que tudo indica o mês de setembro será ainda pior, uma vez que o número de casos de Covid-19 e óbitos continuam crescendo. Estados já estão fazendo o óbvio, pagando para as pessoas tomarem vacina. No final das contas, o tapering deve ocorrer, mas provavelmente seu ritmo será mais lento.

Saiba mais em Gráfico do Dia: Criação de vagas de trabalho nos EUA 

Ainda em relação ao mercado de trabalho americano, uma situação interessante: O McDonald´s está contratando adolescentes de 14 a 15 anos nos EUA. Duas possibilidades, 1) a primeira, e mais evidente, é a falta de trabalhadores dispostos a ganhar menos de $15 por hora; 2) a segunda, e não tão evidente, é a baixa vontade da cadeia de fast food em pagar adicionais aos trabalhadores por funções de atendimentos ao público. Trabalhadores nos EUA não estão dispostos a encarar trabalhos de atendimento por conta do risco de Covid-19, fator que parece um entrave intransponível à recuperação das vagas perdidas desde o início da pandemia (ainda há 5,5 milhões de vagas), sendo que quase todas concentrada em trabalhos de mais baixa qualificação e de atendimento ao público como hotelaria, restaurantes, bares e varejo.

Com tal cenário, utilizar ferramentas monetárias para criação de empregos nessas áreas me parece tentar matar um mosquito com um martelo – não vai funcionar. Será que o mundo entrou em uma fase de subemprego causado por um problema de ordem de saúde pública que está se transformando no maior problema social depois do envelhecimento da população? Essa é uma boa questão e que os BC´s das economias maduras terão que se fazer.

A logística no Golfo continua interrompida parcialmente. Segundo informações na última 6ª-feira, a capacidade está em 50%. As barcaças da CHS, maior operadora, estão paradas, reduzindo assim a movimentação de grãos do meio oeste para o Golfo. O número de navios no Golfo esperando para carregar cresce a cada dia, chegando a 50 até 6ª-feira – e ainda não estamos no pico da temporada. Equipes ainda estão avaliando os estragos, enquanto que as equipes da Entergy ainda estão tentando religar a transmissão de energia elétrica – o estrago foi bem maior que o imaginado.

Os prêmios da soja no Golfo continuam elevados. Tradings continuam ausentes, tanto para soja como também para o milho. No PNW não há oferta de elevação até dezembro. A China comprou apenas 06 barcos de soja no PNW na semana passada, muito pouco para quem ainda precisa cobrir quase 22 milhões até final de janeiro. Parece que a vida das tradings no Golfo deverá voltar ao normal somente a partir da 2ª quinzena. No entanto, zerar os atrasos e colocar em dia o lineup de navios vai levar mais tempo. Tudo isso deverá encarecer os corredores de exportação americanos, mais um ponto negativo para sua competitividade.

Os prêmios FOB NOLA subiram 50 centavos por bushel em dois dias, tornando a soja brasileira novamente compatível em relação à soja americana CNF China para embarque outubro. Como resultado, os prêmios da soja no Brasil subiram mais de 50 centavos na semana passada para embarque outubro e novembro. Para China, o apagão logístico nos EUA deverá se converter em redução do processamento, exatamente na melhor época do ano que vai de outubro a janeiro, pico sazonal do consumo de rações.

Saiba mais em Alerta: Prêmios no FOB Golfo sobem forte 

O que fazer agora? Comprar soja cara no Brasil para embarque outubro e novembro ou cruzar os braços e esperar a volta da normalidade em termos de embarques no Golfo?

Traders da soja reportaram a venda de 04 barco de soja brasileira para China para embarque outubro na semana passada, mas foi só por enquanto. Desde então as ofertas de soja brasileira para esse embarque já subiram 50 centavos por bushel. Parece que simplesmente o Brasil não será um fornecedor de volume nesse momento – muito arriscado para as tradings exportadoras. A margem da originação está péssima. A soja no Mato Grosso spot está sendo negociada quase ao mesmo nível do sobre rodas em Santos.

Para os futuros do milho e da soja na CBOT esse cenário é muito negativo. Os programas de exportação sofrerão atrasos, reduzindo assim o potencial do seu tamanho, principalmente para a soja. As tradings não estão ofertando novas posições de soja pelo Golfo, reduzindo assim as opções dos importadores.

Saiba mais sobre os impactos aos programas americanos em Artigo: Os impactos do Ida aos programas de exportação americanos 

Em Dalian a semana começa com queda para o farelo e para o óleo de soja. Na última 6ª-feira os futuros do óleo de soja encerraram com alta de mais de 3%, precificando a menor oferta de soja e a provável queda no processamento interno. Com isso, tanto os futuros mais curtos do óleo, assim como do farelo, estão subindo mais em relação aos mais longos, causando forte inversão da curva de futuros, um claro sinal de redução da oferta de curto prazo.

Para o Brasil essa situação não é boa, uma vez que o atraso do programa americano de exportação trará mais concorrência para os meses à frente, em plena safra brasileira. É bom lembrar também que tanto o produtor americano como também o brasileiro, estão pouco vendidos, muito menos em relação ao ano passado nessa mesma época, ou seja, ainda há muita soja para ser precificada. As tradings de ambos os destinos tentarão garantir logística na China na medida em que o grão for sendo precificado, o que gerará forte pressão de venda nos basis CNF.

Destaque também para o óleo de palma, encerrando em alta na Malásia nessa 2ª-feira. Os óleos vegetais continuam muito firmes, fruto do aumento da demanda para uso industrial (biodiesel) e pontos de estrangulamentos na produção. Malásia com falta de trabalhadores, Índia com monções abaixo do normal, China com menos soja do que gostaria, Argentina com problemas de escoamento, Canadá com quebra de safra na canola e o norte dos EUA com ano muito seco. A consequência é que os óleos continuam sendo o vilão da cesta básica de muitos países importadores de alimentos. Segundo a FAO, o óleo é o item que mais subiu desde o início da pandemia.

E aqui no Brasil. Os preços do milho continuam sob pressão no mercado interno, dinâmica de preços que pode ser explicada pela colheita, pela queda da CBOT e do câmbio, derrubando assim a PPI do milho argentino CIF fábricas no Brasil, e aumento da oferta no mercado tributado de milho do MT, MS e agora do PY. Como resultado, a procura por milho importado sumiu.

Corretores comentam que o milho do PY está entrando no Oeste do PR a preços abaixo do milho do MS e também abaixo em relação ao milho diferido, trazendo mais pressão de curto prazo. Não é muito volume comentam corretores, mas acaba marcando preço.

Produtores com quem eu converso no MT estão aquecendo os motores. As chuvas que caíram nos últimos dias, somada às previsões para 15 dias daria condições para o início do plantio da soja.

Se a soja no MT e norte do PR for plantada entre a 2ª quinzena de setembro e 1ª de outubro teremos como resultado uma bela de uma redução no risco de perda de janela para o milho safrinha 2022. Nesse caso, o mercado vai precificar uma baita safra. O potencial de produção de milho 2021-22 passaria de 118 milhões de toneladas contra pouco mais de 80 milhões na atual temporada.

Saiba mais sobre o quadro de oferta e demanda 2021-22 em Artigo: A janela de plantio da soja e os impactos para o milho 2021-22 

Grande abraço e bons negócios!


Conteúdo: soja, milho

Comentários

SuperGalinácio

Obrigado Ana.

Ana Claudia

Excelente artigo